sexta-feira, 4 de maio de 2018

Como mudar de casa sem perder nada (nem a cabeça)

Mudar de casa costuma estar associado com desorganização e confusão. Ainda assim, há pequenas medidas que pode tomar para organizar melhor os seus pertences e facilitar a adaptação à nova casa.

1. Transporte as coisas mais valiosas primeiro (e em família).
É relativamente comum perder objectos durante as mudanças. Por isso, recomendamos que seleccione as coisas mais valiosas (quer pelo seu valor absoluto, quer pelo seu valor sentimental) e que essas sejam as primeiras a levar para a sua nova casa. Além disso, recomendamos que sejam transportadas por si e por pessoas da sua confiança, em vez de as deixar no meio de tantas outras coisas.

2. Objectos frágeis: junte jornais e papel bolha.
Outra das queixas mais frequentes de quem mudou de casa prende-se com a quantidade de objectos partidos. Para evitar partir coisas que lhe são queridas ou que têm passado de geração em geração, recolha jornais velhos (peça a vizinhos, use folhetos de supermercado velhos), esferovite e pondere comprar papel bolha para proteger objectos com uma forma irregular. Assegure-se que não se conseguem mexer dentro das suas respectivas caixas! No exterior da caixa, indique a melhor forma de a transportar.

3. Separe os seus objectos por importância.
As primeiras coisas que deve empacotar são as que menos usa no seu dia a dia. Deixe apenas o essencial de fora, como se estivesse a preparar-se para umas férias. Assim, garante que não vai desfazer o que já empacotou nos últimos dias antes da mudança! Isto aplica-se a tudo: atoalhados, loiça e roupa. As últimas coisas a empacotar são as que utiliza todos os dias e devem caber numa mala, para que não seja difícil transportar até à nova casa.

4. Mudar a sua morada.
Finalmente, quem vai mudar de casa não se pode esquecer de mudar também… a morada! Ligue para a companhia da água, luz e internet e peça para enviarem as suas cartas e contas para o novo endereço. Lembre-se que também terá que mudar a morada no cartão de cidadão, no centro de saúde, hospital, finanças e segurança social.

Sem comentários: